Mercado imobiliário residencial estabiliza no início do ano

Actividade no mercado imobiliário residencial estabiliza no início do ano

• Vendas e procura mantém-se, em geral, estáveis

• Expectativas de curto-prazo com ligeira recuperação

• Novas angariações continuam a cair

“Depois do cenário de enfraquecimento, ainda que ligeiro, reportado nos meses anteriores, os resultados de janeiro do RICS/Ci PHMS apontam para uma tendência de estabilização da atividade de compra e venda de habitação no início do ano. Ao mesmo tempo, embora de forma modesta, as expetativas de curto-prazo voltaram a terreno positivo.

No mercado de arrendamento, as expetativas sobre as rendas também voltaram a ser marginalmente positivas uma vez mais. No que se refere ao mercado de compra e venda, as consultas por potenciais clientes mantiveram-se mais ou menos estáveis, depois de terem recuado em dezembro. Ainda assim, a última leitura positiva deste indicador registou-se há já quatro meses.

artigo novo

Ao mesmo tempo, o volume de acordos de venda também se manteve inalterado durante o mês de Janeiro, sendo este o caso em todas as regiões cobertas (Lisboa, porto e Algarve) pelo inquérito. Relativamente ao futuro, as expectativas relativas às vendas melhoraram quando comparadas com o mês anterior e os inquiridos em cada uma das regiões esperam agora ver algum crescimento. A melhoria mais acentuada observou-se no Algarve, enquanto no Porto e Lisboa o sentimento recuperou apenas de forma muito ligeira.

O volume de novas angariações a entrarem no mercado continuou a decrescer, com o indicador a manter-se em terreno negativo pelo 23º mês consecutivo. Esta falta de oferta parece ser um dos fatores a suportar os preços, apesar das tendências de enfraquecimento da procura agora registadas.

De facto, um saldo líquido de +17% dos inquiridos reporta uma subida nos preços no mês em questão (apesar do abrandamento do dinamismo aparentemente nos últimos seis meses). Em termos de perspetivas, um saldo líquido de +43% dos inquiridos antecipam uma subida de preços no mercado no espaço de um ano.

Num horizonte de cinco anos, os inquiridos esperam agora que os preços aumentem a uma média anual de 2%. Os dados regionais mostram que as projeções de médio prazo estão agora bastante equilibradas entre Lisboa, Porto e Algarve. O índice de confiança nacional (uma medida combinada entre as expetativas de curto-prazo relativas aos preços e às vendas) recuperou para +15, seguindo-se a uma leitura de -4 em dezembro.

No mercado de arrendamento, a procura por parte dos inquilinos aumentou a um ritmo ligeiramente mais forte do que no relatório anterior (o saldo líquido melhorou de +10% para +21%), enquanto as instruções por parte dos proprietários voltaram a cair. Em resultado deste desequilíbrio, as rendas continuam a subir, ainda que as expetativas para o seu crescimento sejam mais modestas do que há uns meses atrás.”

Fonteconfidencialimobiliario.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *