Certificado energético – O que é?

Certificado energético – O que é?

Se está a pensar vender ou arrendar o seu imóvel, saiba que deve apresentar e obter um certificado energético de ar e interiores.

O certificado energético é um documento que avalia a eficácia energética de um imóvel ou edifício numa escala de A+ (muito eficiente) a F (pouco eficiente). É emitido pelos peritos autorizados pela ADENE. Neste documento devem constar informações sobre o consumo energético da climatização e das águas quentes sanitárias. Deve também conter medidas para reduzir o consumo energético, como por exemplo, a instalação de vidros duplos ou o reforço do isolamento. Este documento tem uma validade de 10 anos.

Este documento é de apresentação obrigatória, desde final de 2013, no momento em que inicia a promoção do imóvel, tanto, para venda como para arrendamento. Ao contrário do que poderá estar informado este documento é obrigatório no início da promoção do imóvel.

Ora se decidir promover o seu imóvel particularmente, ou mesmo, com uma agência imobiliária deverá obter e apresentar este documento na descrição do imóvel. É exigido por lei (decreto-lei nº118/2003) ,  caso coloque uma simples placa de venda, ou mesmo se colocar só numa agência tradicional ou um simples site online.

Este tema é muito controverso e discutido pelos proprietários e agências, pois mal informados e mal aconselhados, baseiam-se na lei anterior (2009) em que o dito certificado energético só era exigido, apresentado e entregue no acto da escritura pública de compra e venda ou na assinatura do contrato de arrendamento. Como o certificado energético tem um custo considerável muitos optam por não o obter e inclusive muitas agências imobiliárias e profissionais alimentam essa decisão. Alerto para o facto de caso não obtenha e apresente o certificado energético na promoção do imóvel, tanto proprietário como agência imobiliária arriscam a uma multa pesada.

Muitas das vezes que falo com proprietários interessado em vender imóvel, reparo que muitos deles não conhecem esta lei e arriscam a uma multa pesada, a maior parte das vezes mal informados ou mal aconselhados por “profissionais” ou “freelancers” do imobiliário.

Este documento é fácil de obter e o investimento ou retorno é garantido. O facto é que desde a introdução deste documento no mercado, os imóveis têm vindo a recuperar valor e o retorno é praticamente assegurado na futura venda do imóvel. O certificado energético deverá ser visto como um investimento no imóvel e não um custo.

A verdade é que a introdução deste documento ajudou a estabilizar a lei da oferta vs procura, uma vez que, passamos a ter menos imóveis em venda. Os proprietários que querem mesmo vender acabam por obter e arranjar forma de pagar o dito documento. Os proprietários que não querem vender ou que estão menos motivados ou com menos urgência, optam por não gastar esse dinheiro no certificado energético e não colocam o imóvel no mercado, assim, existe menos oferta para a mesma procura.

Repare também, que caso encontre um comprador sério o processo da venda poderá passar por um advogado ou banco que irão solicitar os documentos do imóvel actualizados, entre eles o certificado energético. Assim e caso o proprietário já possua este documento o negócio terá menos risco de cair e o fecho será mais rápido.

Veja aqui estes links para mais informação e tirar algumas dúvidas:

  1. 10 perguntas sobre o certificado energético 

  2. Perguntas e respostas – SCE

  3. Portal da ADENE

Certificado Energético

Espero que este artigo seja útil e ajude a esclarecer algumas dúvidas sobre este tema.

Caso tenha alguma questão ou mesmo se necessita de elaborar um certificado energético estou ao dispor. Tenho contactos em carteira de peritos qualificados, preparados para o ajudar de forma rápida e aos melhores preços.

Contacte-me!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *