Evolução dos preços no imobiliário português

Evolução dos preços no imobiliário português

Portugal é o quarto país da União Europeia com maior aumento de preço na habitação

Com 10% de crescimento, Portugal ocupa o quarto lugar no ranking que dos países com maiores aumentos nos preços das casas na União Europeia. Os dados que fazem referência ao 2º trimestre de 2019, foram divulgados recentemente pelo Eurostat (Instituto Oficial de Estatísticas da União Europeia/UE).  À sua frente, o país tem apenas Hungria, o Luxemburgo e a Croácia.

Desde meados de 2010 que já é possível observar a crescente evolução dos preços da habitação em Portugal. É importante considerar que os avanços são posteriores após os anos da grande recessão que assolou os portugueses entre os anos de 2007 a 2009.

FB_IMG_1572944740239

Nos últimos nove anos, os preços das casas em terras lusas aumentaram 16,6%

Nos últimos nove anos, os preços das casas em terras lusas aumentaram 16,6%. Já a média do grupo dos países da União Europeia foi de 3,3%, segundo dados do Banco Internacional de Pagamentos (BIP).

Afinal são os estrangeiros que fazem disparar os preços das casas em Portugal?

Mesmo com as frequentes subidas dos preços, já é possível observar os primeiros indícios de não apenas abrandamento, mas de descida dos valores se comparados com os resultados do ano anterior. O que tem sido visto com bons olhos pelo mercado, por se tratar de um maior equilíbrio e amadurecimento do setor, embora muito motivado pela falta de produto.

Sem Título

Se analisarmos a evolução do preço dos imóveis,  é preciso ter em conta a capacidade de aquisição dos potenciais compradores, portugueses e estrangeiros, ou ainda, a sua capacidade de endividamento, sendo que nesta conta não se verificam grandes alterações relacionadas ao salário mínimo nestes últimos anos, o que prejudica a capacidade dos portugueses.

Enquanto isto, apenas no ano de 2018, o valor médio dos prédios vendidos a não residentes girou entre os 171 mil euros, valor 58% maior do que a média das transações globais, contribuindo para a pressão sobre os preços do imobiliário.

 

Fonte: Listglobally & INE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *